sexta-feira, 23 de junho de 2017

Uno

O amor é algo surpreendente.
Estou longe, mas perto.
Ela está lá... Eu aqui. Mas continuo me sentindo uno.

O amor é simples.
Amo. Sou amado.
Somos uno.

O amor é viver a dois.
Mas pensar uno.

O amor é a exceção matemática.
Quando um mais um não são dois.
O amor é uno. Se não for, não é amor...

segunda-feira, 22 de maio de 2017

Vá em frente

É cedo ou tarde?
Será no tempo certo...

Pois o tempo só chega quando é tempo. Quando a decisão é tomada. As escolhas decididas.

O tempo ganha seu tempo, tempo a tempo.

Apenas..., Vá em frente!


segunda-feira, 15 de maio de 2017

Qual a razão de tudo?

Nascer e morrer...
Seria o meio entre isso tudo a nossa razão?
Mas o queria seria o tudo?

A cada esquina nos encontramos. A cada passo nos aproximamos. Vamos em busca. Em buscas... Sabemos de muitas. Escolhemos outras. Sentimos alguns destinos antes mesmos de percorrer... Mas seria isso mesmo?
A razão de tudo?
Mas, porque tanto duvidar, se é só seguir...
Quem?
Duvide! Mas sem esquecer... Viva!

Vem uma tempestade por aí...

Já posso sentir a turbulência... Meu espírito está angustiado. Algo está muito próximo. Algo que mudará tudo... Todos!

De alguma maneira, eu verei. O que? Como?
Não sei se essas perguntas são as corretas. Talvez ela deva ser: Quem?

Esperei muito. Talvez... Ainda há muito. Mas já sinto. O ar está diferente...
E depois?
Tudo vai mudar.
E só a resposta a pergunta correta saberá sobre o depois...

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Minhas pegadas

As pegadas na areia eram minhas.
Duas delas.
O suficiente...

Eu caminhei com um destino:
Sem destino.
Mas havia as pegadas...

Não fui em frente,
Sem nunca parar.
Cheguei...

Chegando,
Percebi que eu nunca estive sozinho...
Lembrei das pegadas... Minhas!
Meu ato de esperança!


segunda-feira, 24 de abril de 2017

Hoje eu quero ouvir sobre esperança...

Se você, assim como eu, cansou... Que tal falarmos sobre ela.

Mas por onde começar?

Que tal...
Pelo sorriso de um bebê depois de ter enchido a fralda? Ou a cara inocente de uma criança que rabiscou toda a parede da sala?

Que tal começar tendo esperança?
Afinal, não posso ouvir ou falar sobre ela se eu não a tiver...

A esperança mora em cada um! Sabe aquele órgão que bombeia sangue? Ela nasce ali dentro...

E sabe do que mais!? Você. Sim, você! Ela mora em você.
Não, não a criança. A esperança. Embora a esperança seja uma criança feliz e inocente que habita cada um de nós.
Sim, você a carrega.
E, talvez, ela só esteja esperando que você a descubra.

Esperando, a esperança está!

Acorde! Acorde ela! A criança quer brincar...

segunda-feira, 3 de abril de 2017

O que é o medo?

Temos medo...
Mas, o que é o medo?
Medo...

O medo é, porque não, amor.
Digo, sem amor não há medo.
Ele não é a ausência do amor. Nem o excesso.

Ter medo é amar.
Você tem medo de altura porque ama sua vida.
Você tem medo da morte de seus pais porque os ama.

Você tem medo porque você ama!

Não amar também pode ser um medo. Mas se você ama, logo, não deveria temer.
Mas o medo, assim como o amor, não pede licença.
Ele te abraça e te recolhe, enquanto o amor acolhe.
Sutil diferença entre o medo e o amor. Mas enorme...

Prefiro amar... Logo, tenho medo.

segunda-feira, 27 de março de 2017

Detalhes...

As vezes, sentado no sofá ou na escada atrás de casa, olho para os detalhes. Parece ser mentira...
Realmente vivo aqui? Minha casa? Já sou adulto?

É tão estranho... Talvez mais estranho seja eu me fazer essas perguntas...

Mas não pensem que isso é ruim. Sinto que as dúvidas são positivas!
Penso nos detalhes... Os detalhes são preciosos. São belos. E quando vejo os detalhes... Percebo o quão feliz sou aqui. Em meu lar, com minha família.


sexta-feira, 24 de março de 2017

domingo, 12 de março de 2017

Viver a dois!

Será que realmente entendemos o que é um relacionamento? O que significa escolher viver a dois? Estar em uma relação, manter uma ligação, uma conexão...

Seres humanos não são quebra-cabeças que se encaixam perfeitamente. Temos imperfeições. E, viver a dois, é entender isso (e até gostar, rir, das partes que não se encaixam)...

Escolher estar com outra pessoa é entender que você precisa ESTAR com ela (ou com ele). Um ‘estar’ que ultrapassa os limites físicos. Que entende um olhar. Que, mesmo longe, se mantem próximo, pois sempre há lembranças boas.

Estar com outra pessoa é entender que teremos dias ruins e bons (mais bons do que ruins). Que nos bons nós rimos, dançamos, curtimos um ao outro. Que nos ruins é preciso ser apoio e não enxergar a pessoa ao seu lado como saco de pancadas...

É preciso entender que, às vezes, haverá discussões (lembram, as peças não foram feitas com encaixes perfeitos...). Mas que discussões não são brigas, mas sim um diálogo com opiniões diferentes... E, se virarem brigas, é preciso lembrar que vocês escolheram estar juntos. E que brigas passam... Vocês ficam!

Estar junto é compartilhar momentos, contas, viagens e até comida. É dividir sua única maçã e perceber que agora tem duas.

Viver a dois é ser feliz...


domingo, 5 de março de 2017

quinta-feira, 2 de março de 2017

A ordem do tempo

- Já é 10 de dezembro?
- An? Tá louco?

- Poderia ser, não?
- Mas aí teríamos envelhecido mais...

- Não! Poderia ser 10 de dezembro. E amanhã, 31 de janeiro. Porque viver em uma ordem? Porque não podemos escolher o dia, mês e ano que iremos viver no amanhã. 
- An?

- Está com calor? Pula para um dia de julho. Muito triste? Que tal ir para o carnaval ou seu aniversário? Sente saudade de seus avós? Vamos vê-los novamente. Não seria tão melhor se nós escolhêssemos a ordem?