sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Cheiro bom, de fim de ano

Que cheiro é esse. Que sinto todos os finais de ano.
É um cheiro bom, agradável. Faz todos se sentirem bem.
Cheiro, quero dizer, sinto que as pessoas estão mais felizes, tolerantes, solidárias.

Parece um pouco com o de Natal...
Mas esse cheiro é ainda melhor. Ele é mais leve, gostoso.
Delicado com uma folha seca. Vigoroso como uma figueira.

Cheira a coisa nova. Seria um carro? Um emprego? Um filho? Amigos novos? Até ao fim daquela bronca com sua mãe.

Ahhh esse cheiro.
Quantos fins de anos já senti e nunca enjôo dele.
Ahhh esse cheiro.
É cheiro de E-S-P-E-R-A-N-Ç-A!

domingo, 18 de dezembro de 2016

Nu

Apareci Nu
Mas não era eu Nu

Jamais ficaria Nu
Embora tenha nascido Nu

Fizeram de mim Nu
E, por isso, naquele dia, lá estava eu, Nu
Mesmo sabendo que jamais poderia ficar Nu

Afinal, embora estivesse desguarnecido de algo essencial, minhas roupas; eu mantive o principal, minha alma...

Agora, me diga, você, eu estava Nu?


quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Não gosto de você

- Não gosta de mim, né!
- Se eu gosto de você. Não. Eu gosto de pizza, sushi, churrasco, cerveja. Gosto de passear, jogar futebol.
- Sério?
 - Sim! Porque eu não comeria pizza todos os dias. Não viveria de sushi, churrasco ou cerveja. Enjoaria uma hora... Eu gosto de passear, mas uma hora é preciso parar. Não dá de passear ou jogar futebol para sempre. Eu te amo! Porque eu não enjoo de ficar ao seu lado e quero estar cada segundo contigo. Eu viveria contigo para sempre. Viveria por ti se necessário. Ficarei eternamente contigo, se tu deixar.

- Se saiu bem heim.
Todos riram.

domingo, 11 de dezembro de 2016

Marionetes

Quem controla o sistema?
Quem o sistema controla?
Ninguém?
Todos?

Será que alguém realmente tem controle?
Ou seremos todos marionetes?

Algumas são guardadas em caixas de vidros, com almofadas.
Outras ficam amontoadas no canto da sala.
Sonhando, um dia, ganhar sua caixa de vidro e poder ser colocada em uma almofada...


Olhos fechados

Fechos os olhos.
O mundo para.

Ouço.
Grilos, carros, passos, buzinas.
O mundo volta.

Abro os olhos.
O mundo para...

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Sem desculpas

Não culpe a vida por você não realizar seus sonhos.
No culpe seus filhos por você não ter feito o que queria fazer.
Não culpe seu emprego...
Não culpe sua família!

Ou culpe... Se preferir.
Mas, no fundo, é só mais uma mentira que você usa para aceitar a vida. Culpando os outros...


Se quiser culpar, culpe a matrix!

sábado, 26 de novembro de 2016

Rots - meu primeiro livro

É estranho, mas me faltam palavras para anunciar que MEU PRIMEIRO LIVRO foi publicado.
Ops, elas voltaram... rsrs.
Mesmo sem editora, não poderia deixar de publicá-lo.
Foi então que descobri a Amazon/Kindle. E “taran”! Meu primeiro livro está disponível para os interessados em adquirir ele online [http://bit.ly/ROTS-DC].
...
Quem estiver afim de uma breve história que traduz esse início de carreira literária... Tenho algo a contar.
Hoje, é um dia mais que especial para mim, eu não poderia deixar de falar sobre o que me levou a esse caminho: da escrita. E escrevo isso com LÁGRIMAS nos olhos. De ALEGRIA!
É sobre a MINHA PRIMEIRA HISTÓRIA!
Quando eu era mais novo, no Ensino Fundamental, quinta ou sexta série, criei/escrevi meu primeiro conto. Se poderia chamar aquilo de conto...
O rascunho se perdeu pelo tempo, assim como papéis um dia somem, mas a história... A história continua viva dentro de mim.
A história falava de um escritor. E este personagem criava um texto que, quando as pessoas o liam, deixavam de ser más. Sim, elas mudavam! Transformavam-se e passavam a fazer apenas bondades. Começou com apenas algumas pessoas, mas logo o mundo havia se transformado e, então, chegamos a um momento de paz plena [nesse meu primeiro livro, uma das civilizações que tem contato com a humanidade também chegou a esse momento].
Para aquele adolescente, futuro escritor, isso parecia possível.
Para ele, hoje com 29 anos, isso ainda parece possível...
...
A quem se interessar em pagar R$ 8,97 para ler minha obra online [computador, celular, tablet ou kindle] gostaria de deixar uma mensagem: “Cada texto, conto, livro ou poesia que faço, penso que pode mudar/transformar o mundo. Começando por uma pessoa, você, e, quem sabe um dia, alcançando a cada um desses 7 bilhões de corações do planeta Terra”.
Obrigado por lerem até aqui!
>> Uma mostra do livro aqui http://bit.ly/ROTS-DC [é só clicar no botão "Dê uma olhada"]

sábado, 19 de novembro de 2016

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Mundo novo


O pequeno entra na casa...
O que esperar dali? Dois gigantes o trouxeram. E agora ele teme só de olhar o ambiente. Se sente acuado, fica quieto, olha ao redor.

Não que estivesse feliz de onde veio. Não estava infeliz, mas sentia falta de um lugar para chamar de lar.

Eles lhe chamam pelo seu novo nome, uma coisa que ele não entende. Porque mudar seu nome? Está confuso.
Mesmo acompanhado, parece que está sozinho.

Ele é abraçado, recebe cafunes e dengos. Até um brinquedo aqueles gigantes lhe dão. Comida, muita comida para ele se deliciar!
Ah, e não param de fazer fotos!

Parecem felizes com a sua presença.
Depois de muito tempo, o pequeno, ainda timidamente, começa a se sentir em casa.
É quando corresponde todo carinho que recebeu com apenas uma palavra: “miau!”



Sem luz pode haver amor. Sem amor não há luz!

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Folga


Às vezes, o que precisamos é simplesmente parar.
Ir para um lugar bonito e calmo. Com pessoas que você ama.
E desligar.

Saia do ritmo alucinante. Pode até ficar conectado, mas durma, relaxe, pense. Se permita parar.

E agradeça. A sabedoria está em reconhecer esses "presentes". Não são passados, nem futuros. São PRESENTE!

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Um pedido...

  
Pare!!!!
Por favor. Você precisa parar e olhar.
Você viu? A criança desnuda no sinal? O velho curvado ao canto. O rapaz com roupas rasgadas?

Por favor, retire essa lente e passe a enxergar.

O que estamos fazendo não está nos ajudando. Apenas nos afasta... Apenas nos tira a humanidade... Nos individualiza....

Olhe a senhora sem guarda-chuva. A moça pedindo ajuda. O moleque querendo um pão.

Veja!!! Por favor.
E sinta. Sinta tudo!!!


Agora, mude!


domingo, 30 de outubro de 2016

O que a vida nos reserva?


Dia a dia...
O que? Porque?

Já paramos pra pensar?
Aonde queremos chegar?
Ponto de partida... Ponto de chegada...
Já parou para pensar onde está e onde quer estar? São iguais ou diferentes?

Estar.
Sim.
O importante é estar.
Chegar...
Importante partir, sempre estar a caminhar.

Importante!?

Nunca, nunca, nunca! Parar...


domingo, 23 de outubro de 2016

Devaneios: Vazio

 
Assim como em todas as manhãs, o celular me acorda. Lhe dei “Bom dia” e tentei abrir os olhos, mas achei melhor me encostar nela antes. Afinal, sempre gosto de sentir seu abraço logo pela manhã.
Vazio. A cama estava vazia. Ela não estava lá. Olho pela casa, mas nenhum sinal dela. A mesa, que costuma estar com a tolha que ela gosta, estava nua, apenas com um vidro vazio.
A casa está em silêncio. Onde estarão nossos gatos? Começo a entrar em desespero.

Aciono meus amigos pelo celular: “Minha esposa sumiu”. As respostas vêm rápidas: “Como assim sua esposa sumiu?”. Logo, meu irmão bate na porta. Embora sempre prestativo, dessa vez ele me surpreendeu na rapidez. Começo a desconfiar: o que será que estão escondendo?
Ele tenta me acalmar, mas não consigo. Vou até a polícia, mas me impedem de registrar o desaparecimento dela. Estou com medo.
Meu outro irmão me encontra na rua: “vamos para casa”. Não posso! Tento explicar a ele que preciso encontrá-la! Ele insiste: “se acalme, tente lembrar”.

Lembrar o que? Ontem foi mais um dia comum. Ela voltou do escritório em que trabalha e eu estava escrevendo meu livro. Antes tinha ido em um clínico geral que trabalha com terapias alternativas, passei na farmácia e comprei a medicação, aquela vidro que estava sobre a mesa. Fomos dormir. O resto era um pesadelo.

Tudo fica confuso. Desmaio.

Acordo em um quarto branco. Consigo visualizar minha mãe e meu pai do lado de fora do quarto. Minha mãe está apreensiva. Meu pai está feliz: “Doutor, ele vai conseguir perceber que era tudo imaginação?”.
Imaginação? Impossível! Ela estava ali, sempre esteve, nos últimos 25 anos. Os gatos... Não pode ter sido imaginação. Nossos amigos vinham até nossa casa, convivíamos juntos.
Doutor! Dou um berro e os três vêm até mim: me expliquem, por favor! “Você tem uma doença”. Ele continuou a explicação, mas só aquilo que peguei. Uma doença... Como?! O remédio... Preciso voltar para casa. Preciso encontrar aquele médico.

Os encontros não são felizes. Pesquiso o remédio e ele é um medicamento em fase de teste. O médico era um psiquiatra. Será? Não, não e não!
Me acalmo.
.
.
.
Alguns dias depois meu irmão mais novo me encontra. Eu estava na casa de praia de nossos pais: “Tudo bem com você?”. É claro que estava. Ele procura o remédio e vê que está ali: “aceitar é mais fácil meu irmão, estávamos preocupados”.
Não precisam ficar. Estou feliz...

Com minha esposa e meus gatos, vivendo na praia...





domingo, 9 de outubro de 2016

Essa tal loucura

Somos todos loucos!
E na loucura mora nossa maior habilidade.
Não entendo porque tantos tentam reprimir isso.

Sem ela...


Afinal, é a loucura que nos dá a habilidade de Ser Feliz.



Ideias

Mudanças, atualizações. Por onde começar? Vou assim. Ouço, escuto, falo. Pouco falo.


segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Conexão

Somos todos um.
Em cada lugar que estamos, nos conectamos.

Estamos juntos.
Jamais isolados.

A solidão é uma ilusão.
Impossível viver só.

A conexão é automática.
Acontece.

Mas só percebemos quando nos vemos com muitos em um espaço pequeno.
Quando vemos…

domingo, 25 de setembro de 2016

O que é?


LOUCURA
LOUCura
Loucura

O que é
Loucura

Agora?

Loucura
Ontem
Hoje
Amanhã

Loucura é não ser louco

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Valentina

É noite de mudança do horário de verão e os olhos da pequena Valentina estão encantados com os ponteiros do relógio. Queria ela poder ter tanta força para mexer o tempo para frente e para trás.

Seu pai tem essa força. E quando ele volta uma hora, seus olhos brilham ainda mais! Porém, não demora muito, apenas um segundo na verdade, e os ponteiros começam a se mexer para frente.

Nem mesmo seu pai é mais forte que o tempo...

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Tic tac

Tic tac
Tic tac
Tic tac

Já é hora!

Tic tac
Tic tac
Tic tac

Já é hora de voltar…

E ele ouviu o último tac antes de parar

Parou!
E enfim soube que aquela hora não deveria passar...
Que a hora é eterna e, o tempo, apenas mais uma forma de controle


quarta-feira, 14 de setembro de 2016

Os sonhos...

Tanto já se falou em sonhos... Mas um especial me marca, o Prelúdio: “Sonho que se sonha só. É só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade”. Adianta dizer quem disse? Não... No fim.
 
Sonho, sonhar... Há tanto. Tanto muito e tanto pouco. Ninguém e todos.

Esqueço todas as vezes que sonho. Esqueço porque preciso acreditar... Mas creio!

Ahhhhhhh!

Crença! Em que? Já paramos para pensar em parar? Pensar? Repensar?

No que crer? No que seguir e acreditar? Em nós?

Já dizia...

Salve Raul!

domingo, 4 de setembro de 2016

Ciclos

Lutamos por direitos. Defendemos nossos direitos.
Períodos de guerra. Períodos de paz...

A humanidade tem seguido um caminho cíclico. Às vezes, um ciclo dura séculos. Em outras, dias... Mas são ciclos. Sempre ciclos.

Seria utopia por fim a estes ciclos? Arranjar uma unanimidade? Não!
Então seria fácil? Pelo contrário. É quase impossível romper os ciclos. Mas não impossível...

Avançamos a isso, dentro de cada um; quando seguramos nosso braço, nosso ímpeto pelo revide, e utilizamos algo mais inteligente: nossa voz, nosso conhecimento.
A quebra de ciclos se dará pelo conhecimento, pelo empoderamento de cada ser humano, pela consciência crítica e social que devemos ter com cada irmão deste nosso lar, deste nosso planeta...
Precisamos parar de ser “Vírus”, em referência ao Agende Smith – Matrix, e passarmos a sermos como os outros seres, que entram em equilíbrio com o sistema – com exceção de quando o ser humano quebra este equilíbrio...

Equilíbrio, unanimidade, empoderamento... Tudo isso será nos presenteado quando pararmos de tentar adquiri-los, conquistá-los, subjugá-los... Quando entendermos que ao utilizar esses três últimos verbos, jamais quebraremos os ciclos. JAMAIS!


Como diria o Oráculo, são escolhas que cada um precisa fazer. Parece impossível, mas não é!


por Davi Carrer, voltando a Plenus Luna