terça-feira, 31 de janeiro de 2012

PARO!

Então você percebe que não pode mudar o mundo...

Paroooo tudo! Quem começa um texto assim? Qualé que é mermão? Dane-se a gramática e o jeito de escrever. Quero é mais saber de mudar essas paradas sinistras! Não vo descansa não. Aqui não tem maria mole não. Bora lá pra baixo começar a remexer os esqueleto.

Quem promove a mudança é o povo. Letrado ou não. Não é preciso saber dividir números com vírgulas ou diferenciar mais de mas. A cultura, o conhecimento, a vontade, a força... É o povo que dá as cartas e que decide o futuro. Pessoas extraordinárias inventam coisas e ficam ricas. Pessoas comuns se viram e ajudam a mudar o mundo.

E fica um aviso. Você, extraordinário, não passa de mais um! Então se junte as pessoas comuns... E vamos mudar o mundo!







e 25 anos antes... "Sim mãe já vou!"

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Teletransporte

Não entendo como ainda não inventaram o Teletransporte. Uma máquina que pudesse economizar tempo e dinheiro a todos. Você mora em um lugar e trabalha, estuda ou se diverte em qualquer outro. É apenas escolher o destino e “voilá”. Horas de trânsito? Dinheiro para combustível? Emissão de CO2? Isso seria coisa do passado. Se sua mãe gosta de morar na praia, você pode morar na serra e vir almoçar na casa dela todo dia. Que tal?

Entretanto tem uma função que me faz querer ainda mais um teletransporte. Poder, em um piscar de olhos, dar um abraço de boa noite e um beijo em alguém. Isso não tem preço. Talvez, assim, a palavra “saudade” se perderia. E essa pressão que me aperta tantas vezes o peito, seria apenas uma vaga lembrança.