segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Leve cinismo

Muitas falas podiam coexistir, mas não.
Muitos povos podiam largar as armas, mas não.
Muitos poderiam ir às ruas lutar por seus direitos, mas não.

Será que estamos cansados ou vazios?
Satisfeitos ou cheios?

Somente o povo pode entender o povo.
É preciso acreditar, lutar, mudar.

Mas estamos sendo cínicos, pois falamos, mas não.
Mas não!


“Quando conseguirei preencher este vazio? Quando poderei enfrentar esta ânsia que me enche?”

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Dilemas

Como é fácil termos pré|conceitos.
Olhar para uma pessoa na rua e avaliá-la.
Magra, alta, dócil, infeliz.

Como é difícil vencermos nossos conceitos.
Ser subjugado talvez não seja a única alternativa.
Talvez sair em busca da felicidade não seja a única verdade.

São das incertezas que nascem as convicções.
Muitas vezes in|corretas.

No fundo.
A própria certeza nos confunde.
O que é correto?

No fundo.
Não há mais certezas.
Ou há.
Na superfície.. onde é muito mais fácil de se afogar!

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Seria tão mais simples se o vento não soprasse.