sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Então, é Natal! E o que você faz?

Então, é Natal!

Presentes, pazes, abraços, beijos, desejos...

Que o presente desta data seja a percepção do valor da vida
Que as pazes sejam permanentes
Que os abraços continuem a cada dia
Que os beijos celebrem o amor
Que os desejos não sejam materiais

Desejo a você, meu caro amigo, um Feliz Natal e uma vida com saúde e amor, pois isso é o que fica!

“Quando morrer, quero ser lembrado pelas coisas boas que fiz e deixo e não pelos que magoei”

domingo, 19 de dezembro de 2010

E o que fica?

Era um dia normal, estava no terminal de ônibus voltando do trabalho quando senti puxarem minha mochila e ouvi vozes de crianças dizendo “Tio, tem dinheiro aí dentro”. Quando virei minha mochila bateu no rosto de uma delas. Eram três na verdade.
O choque da mochila com uma das crianças, uma menina, me deixou preocupado, então lhe dei atenção. Ela vestia roupas sujas e segurava latas de comida nas pequenas mãos. Ela queria um pouco de dinheiro.
Meio sem jeito peguei várias moedas que levava comigo e lhe entreguei, dizendo que aquele dinheiro era para os três comprarem comida.
Depois disso parei e conversei um pouco com a menina, que me confessou que seus ‘familiares’, não lembro ao certo como ela os denominava, lhe obrigavam a fazer aquilo e que ela só poderia voltar para casa depois de conseguir dinheiro para dois litros de cachaça.
Aquilo me deixou furioso, mas ao mesmo tempo confuso. Ouvi, lhe dei atenção, mas em seguida coloquei minhas mochilas nas costas e segui em frente. Fui para casa.

Acordo!
E depois de pensar percebo que aquelas crianças são as coisas ruins do mundo. Eu as conheci. Eu as escutei. Eu as ajudei. E agora sigo em frente como se o mundo fosse perfeito.

Estou confuso!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Sem luz há amor. Sem amor não há luz!

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Os dedos tremem
O coração explode
Você mal consegue escrever
Você mal consegue pensar

Coração
Sentimento
Confusão

Os olhos lhe entregam
Eles dizem aquilo que você não quer dizer
Mas só você os vê
Só você consegue senti-los brilhar

Então seus dedos, aquela parte do seu corpo que menos passava confiança, escrevem...

No início é tudo confuso
Apenas letras embaralhadas
Mas depois, quando você pára de impedi-los, eles lhe deixam um breve recado

“Pare de controlar seu coração!”

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Perguntas

Você olha para o horizonte e o que vê?
Tédio?
Paz?
Tranquilidade?
Fim?
Você acorda e o que pensa?

Você pensa?
Quem é você?
O que você quer?

Perguntas, perguntas, perguntas...
Queremos respostas, mas sem saber ao certo qual a pergunta.

Queremos viver.
Em, com, para paz...
Queremos!


Em frente