terça-feira, 19 de outubro de 2010

Já dizia o poeta que o amor é uma dádiva, mas será que ele também sabia que só os loucos conseguem perceber isso?
Amar é para todos, sabe amar é para loucos!

Opium

Estou cansado de ver os sonhos se despedaçarem
De ver as moralidades fracassarem

Estou cansado de modestos e insensatos
Da falta de sentido

Estou com ressaca dessa vida, que de mais nada tem de plena
Desse mundo que perdeu o sentido das coisas

Perdemos esta batalha
E temos poucos para tentar vencer a guerra

Há ilusões, mas também há esperanças
E as proporções são desiguais

O ser humano tem um limite e o da humanidade já foi ultrapassado.
Há uma força que nos guia, como há uma força que nos dispersa.
Não somos irracionais.
Não somos nem racionais.
Somos imorais.
Insanos.
Loucos.
Crentes.
Mas de crença isso não tem nada.
Somos e não somos, pois esquecemos.
E a negação é forte de mais.
Já a verdade é fraca.
A balança não pende mais.
Ela já gira...