quinta-feira, 24 de junho de 2010

Expediente fechado

Desculpem, o portão está fechado
Preciso de um tempo.
Não posso mais atender aos meus próprios pedidos.
Os pedidos de estranhos têm lotado minha mesa.
Minha mesa!
Estranhos!

O trem não para.
Então vou pular.
Pego o próximo que passar
De preferência com uma mesa maior.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

O cru e o el do mundo!

O pobre garoto chega à esquina, olha para os lados, mas não consegue ver nada.
O sinal está amarelo. O vento é frio.
Ele tem medo, tem fome.
Ele dá um passo em direção a rua para tentar avistar alguma esperança, mas a única que coisa que consegue ver é que está descalço e o asfalto é frio.
O garoto chora!
Ele pensa em sentir saudades, mas nunca teve nada para poder sentir falta.
Ali é sua casa!
Assim é o seu mundo!
Aquela, que para muitos é a noite, para ele é o dia.
Eterno!
Ele não descansa.
Não pode e não consegue.
Precisa sobreviver!
A noite vai, o dia vêm.
E o garoto continua ali, sozinho...