sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Escolhas²

Porque seguimos em frente?
Talvez, porque não nos é dado escolha.
Ou será que é porque temos medo de desviar da trilha que todos estão acostumados a seguir?
Escolha, trilha, medo.
“Somos seres humanos... mesmo sem saber seguindo em frente vamos”.
Escolhas.
Sim, temos escolhas.
Mas será que optamos ou vamos indo, indo, indo...
Escolhemos, sim, todos escolhem.
Ir em frente é o que escolhemos.
Seguimos.
Errado?
Não.
Certo?
Não.

O interessante não é o caminho, não são as escolhas e sim o fim.
Mas como não há como saber o fim antes de lá estar.
Devemos saber escolher.
Saber tomar o caminho adequado para aquele momento.
E o caminho certo normalmente é o diferente.
O negado por todos.
Só não confundam escolhas com loucura.
De louco todos tem um pouco.
Mas são poucos os loucos que tem escolha..

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Coisas do passado

Descobri em um abraço
Simples assim
Em um período ludibriado
Qualquer beijo não dado
Estive loucamente extasiado
Capaz estar apaixonado
Carinhos trocados
Beijos recusados
Mãos afugentadas
Multidão aglomerada
Noite alcoolizado
Amanhecer ao lado
Ocasião do passado

Rodrigo Szymanski

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Sem medo

Não tenha medo das opções
De seguir caminhos
De viver ocasiões sozinhos
Não temas o destino
De suportar dias sem afeição
Passar noite na lucidez
Abrigue o silencio
Receba o amanha
Escolha o novo
...
Rodrigo Szymanski

Escolhas

Escolhas
Simples, complexas
Apenas escolhas
Mas não temos coragem de tomar
Escolhas

Futuro, passado
O presente é hoje
Aquilo decidido no passado
É o hoje
E o hoje..
Medo!

Medo das escolhas.
Incertas ou certas.
Indecisão..

Mas chega a hora
A escolha não foi feita

Um segundo

Futuro traçado..
Ou não!

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

A vida é uma poesia!

A poesia prevalece em nossas vidas me diz um amigo. Eu respondo: sempre.
O que é a vida sem poesias? Sem versos bonitos, rimas, críticas e até mesmo sem as palavras soltas.
A vida é isso, a vida é poesia.
Viver é amar em um dia de um verso triste.
É sorrir em noite de palavras doces.
Sonhar com o céu de sinônimos e antônimos..
É ser poeta. Em casa, na dor, no mar, nos olhos molhados..

Lástima anatemática

Ser teu amparo
Sobre as noites forasteiras
Sem certezas de amanha.
Não me perco por amor
Sinto falta da paixão e do perigo
Este é meu castigo
Paixão como descanso
Ter sem saber motivos
Assim revolucionário complexo
Amantes noturnos idealizados
Curioso cálice
Que saborearemos separados
Amaldiçoado sentimento de bel-prazer

Rodrigo Szymanski

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Tempo Carente

Deslembrei de tudo
Como água que lava as pedras e segue em frente,
Esqueci um passado presente
Do tempo tão indigente
Não sou eu inteligente
Exclusivamente ausente
Moleque carente
Perdi tanta gente
Paixão ardente
Desejo brigante
Beijo envolvente
Lagrimas latente
Lembrança recente

Rodrigo Szymanski

Terminar e começar

Parei de falar
Quero escutar
Chega de pensar
Vou só sentir
Quero mais é me apaixonar.

Rodrigo Szymanski

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Tempo bom - Tempo mau

Vivemos esperando que o amanhã resolva o hoje. Que o tempo concerte o passado. Mas o tempo tem duplo caráter. Um bom e um mau. E nessa espera pelo seu lado bom, acabamos por receber o mau.
Enquanto o presente vira passado, o futuro vira presente. E o passado? Bem, o passado nos atormenta!
Só que não percebemos essa duplicidade do tempo e vamos em frente. Quer dizer, não vamos. Ficamos esperando, esperando e esperando.
Viva o presente, vise o futuro, esqueça o passado!

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

3 poesias da mesma origem

Vem e beije-me
Como se o ontem não existisse
Deixe o olhar se aconchegar.
Vem me abraçar
Quietinha na rua,
Pegue minha mão
Abandonando sobre as suas.
Consentindo ilusões
Entregando a uma paixão.

Rodrigo Szymanski
Foi teu corpo ao meu
Sua mão fria, quente a minha
Abraços.
Sorrisos te proponho
Beijos no rosto
Orelha...
Boca fugida...
Dedos largados...

Rodrigo Szymanski
Teu rosto antes estranho
Agora tão distante
Ao longo dos dias (noite)
Um pensamento.
Beijos ainda vagos
Hoje te falo
“Quero-te por um acaso”

Rodrigo Szymanski

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Sorria, sorria!

Sabe aqueles filmes em que a humanidade vira zumbies? Estamos nele!
Diariamente, enquanto vou para o trabalho, observo as pessoas. São todos mortos-vivos. Não riem, não notam, não sentem, não percebem. Estão paralisados no tempo, esqueceram que a vida segue. Morreram, mas continuam exercendo suas funções no trabalho.
Fico feliz quando entro em um ônibus e vejo pessoas rindo, conversando. Essas ainda estão vivas!
Tinha pena daqueles que chamo de zumbie até perceber que estava prestes a me tornar um deles. Sem alma! Apenas seguia rumo ao futuro, esquecia de viver o presente. Pois chega, estou vivo, o presente está vivo e quero viver.
Sorriam meus amigos, sorriam!

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Tempo

Em um segundo sinto a sensação do prazer
Que surge de uma esfera vazia
E me pergunto
Como posso ter você?
Um minuto aquilo que era não é
Estranha confissão de amor
Uma palavra apenas não basta
Um beijo?
Mais que beijo?
Em uma ocasião ilícita
A fuga!
Em segundos a epidemia de raiva
Em horas a serenidade e amnésia.

Rodrigo szymanski

Noite de festa

Depois de uma noite de festa
O silencio
Silencio que faz pensar
Pensar no que ainda não vira
Depois do amor a solidão
Solidão passageira que não passa
Beijo em meio à multidão
Nomes esquecidos, rostos não lembrados
Depois do silencio o sono
Sono de embriagues
Depois do sono ligeiro da festa noturna
Uma viagem
Depois do sono um sonho
Um momento
Uma vida...


Rodrigo szymanski

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Dias normais

Por favor, tragam de volta os dias normais...
Aqueles em que crianças jogavam futebol na praça,
Pedalavam pelos morros com seus amigos,
Corriam pela vizinhança.

Hoje só vejo medo.
Pais que não permitem que seus filhos brinquem,
Pois querem protegê-los.
Crianças que preferem um mundo virtual,
Àquele que realmente importa.

Quero a normalidade de volta.
A minha normalidade.
Quero ver as pessoas felizes de novo...

domingo, 4 de outubro de 2009

CAOS

Um começo sem fim.
Um fim sem começo.
De onde partiremos?
De onde podemos tirar forças?
Tudo nao passa de caos.
Mas apenas alguns conseguem ver!
Palavras singelas...
Sem uma objetividade de interpretação...
O que é caos? Sua cultura explicará!
(Crysthian Crema Zomer)

sábado, 3 de outubro de 2009

Observando

Vá a uma festa e dê uma leve olhada ao seu redor. Está tudo no seu lugar? As pessoas estão agindo normalmente? Sim? Não! Você é mais um? Você se sente deslocado?
Eu me sinto!

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

O que vale viver!

É simples pensar na vida! Nascemos, vivemos e morremos. Isso simplificando, ou não, tudo aquilo que passamos. Mas parando para pensar no que vai valer nossa vida depois da palavra morremos é que não conseguimos respostas.
Fizemos algo importante? Ou melhor. Fizemos algo que tenha mudado a vida de alguém? Já que a importância de um ato está contida no que ele provoca de mudança para alguém. Não sei o que já fiz, mas quero mais. Não consigo ver as pessoas passar a vida inteira vivendo para si e somente si. Para mim, viver significa mais do que simplesmente viver minha vida. Não vale aqui pensar que vivermos nossa vida sem prejudicar a do outro é viver. Sim é, mas não, não é.
Falo aqui de vivermos nossa vida, sermos felizes sem jamais esquecer de buscar a felicidade do outro. A vida é incompleta quando a vivemos apenas para nós. Infelizmente a maioria só percebe isso quando é tarde de mais e vê que sua passagem por este local chamado Terra não deixou nada que valesse a pena.